Páginas

domingo, 13 de abril de 2014

O poder do abraço!

Eu que sempre tive orgulho ao dizer que meus Japaboys eram obedientes, principalmente fora de casa, nunca fizeram escândalos no supermercado ou birras na hora de sair de algum lugar que eles gostavam, apenas dizíamos que estava na hora de ir embora e ponto, eles acatavam. Mas de um tempo pra cá, esse comportamento está mudando, infelizmente tenho percebido uma leve regressão. Nessa semana, os dois deram um show em frente a escola, daqueles que todos param para olhar, pois queriam levar pra aula um Homem Aranha que estava jogado no carro, brigaram pela disputa do boneco e berraram porque não permiti que nenhum levasse o dito. Os gritos eram tão altos que a diretora ouviu lá de dentro e foi me ajudar, imaginem minha cara de vergonha vendo milhares de outros pais torcendo o nariz para nós, foi terrível!

A dimensão da birra ainda é algo complexo para mim, pois não consigo identificar se foi eu que mudei, sendo mais flexível, pois em outrora eu sou/era dura demais, assumo, (algo que venho trabalhando em mim há tempos),  particularmente, lutar contra meu lado reativo para não soltar um "-engole o choro!", tem sido um grande desafio. Sim, porque mesmo sendo um ser muito paciente, algumas vezes contar até 10 não é suficientemas a questão é, não quero que esse comportamento vire rotina. A abordagem que por ora tem funcionado é a política do abraço, afinal, o carinho é o grande diferencial para acalmar os ânimos por aqui, de pouquinho o choro sessa,  eles finalmente ouvem o porque de eu não permitir algo, mesmo que inicialmente não entendam, deixo claro que a mamãe não gosta desse comportamento, e mais, que dessa forma, nada conseguirão comigo. Em contra partida, tenho buscando alternativas e novos caminhos para resolver esses ataques birrentos, lendo daqui, dali, encontrei o e-book: 10 grandes erros dos pais na educação disciplinar dos filhos, (baixar aqui), não se trata de um guia, mas vale a recomendação de leitura para fazermos uma análise crítica de nossas ações de modo geral, em uma linguagem simples que promove a reflexão de vivência particular sobre a arte de maternar de cada mãe e pai.

Tá difícil, mas tô tentando! Alguém mais passando por isso?
Aceito dicas!


essa imagem reflete exatamente minha abordagem


Ju



Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Desirée Tapajós disse...

Amiga imagino sua vergonha, nessas horas a gente só quer uma buraco para se enterrar né.
As meninas não são muito de dar chilique na rua, mas as vezes acontece sim, o que tenho feito é antes de sair de casa converso com elas se elas fizerem tolice, vamos voltar para casa, isso funciona muito para saídas como: shopping, festa etc. Como elas amam rua tem funcionado, quando elas pensam e fazer tolice na rua lembro elas e pronto, problema resolvido e caso elas façam tolice e vou mesmo embora para casa.

Tri-beijos Desirée
https://astrigemeasdemanaus.blogspot.com

Simony disse...

as minhas meninas estão 2 anos e 9 meses (10 meses, dia 17-04) mas estão começando esses surtos.
isso me irrita um pouco, mas minha irritação é por não saber o que fazer... embora eu pense "tô pouco me lixando pro que os outros estão pensando sobre e mim, e que minhas filhas não vão conseguir o que querem com essa birra" não dá pra dar uma de louca e deixar o pau quebrar...
é preciso sim respirar e estreitar os limites, com muita sabedoria, inclusive!
mas esse ebook vai ser mega útil.
obrigada por compartilhar.
beijos pra vc e seus lindos japaboys!

Postar um comentário

Obrigada por sua visita!!!
Deixe seu comentário ou envie email para: julia.hipolito@gmail.com
(Aviso: propagandas/anúncios de vendas não serão publicados, sorry)

Seja bem vindo!

Este blog foi criado com a intenção de compartilhar as experiências de uma Mãe de Gêmeos de primeira viagem. Aproveitando o embalo para o acompanhamento da família e amigos nesta maratona!!!

Volte sempre ...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...