Páginas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Qualidade do tempo

 




Costumo dizer que a cada dia nós mulheres nos adequamos a vida do mundo Contemporâneo, estamos  moldadas para a era multi-tarefas, exercendo importante papel no mercado de trabalho conciliado à vida doméstica. Já contei  aqui que a tarefa é árdua, mas possível, as adversidades aparecem e o Monstro da Culpa não perdoa, nos confronta sem dó nem piedade.

Tbm disse aqui que as cobranças profissionais iriam chegar junto com 2012, pois é, chegaram! Com isso percebi que há duas coisas completamente diferentes no que se refere Mãe que trabalha, a primeira delas é ter um Emprego: (salário, "independência financeira", estabilidade, zona de conforto) a segunda, é ter uma Carreira: (foco em resultados, fazer acontecer, desenvolver competências, estudo, dedicação), notaram a diferença? 

Para quem busca uma carreira, o Monstro da Culpa consegue ser muito mais assustador, põe em xeque nosso bem mais precioso: o tempo dedicado aos filhos. Mas como minha sábia mãe diz, a vida de mãe é repleta de renúncias e as verdadeiras renúncias doem como um corte profundo, salpicado de sal grosso. Sad but true.

Percebi que um emprego pra mim é pouco, quero uma carreira, vou em busca disso e se nada der certo, viro hippie. Rá! Esses ajustes de qualidade x quantidade de tempo dói, mas fazendo de forma consciente, com o apoio do maridex todo sacrifício é válido, até pq nosso objetivo principal é o futuro das crias,  acreditamos que não há melhor herança que a educação de nossos filhos, por isso todo sacrifício é imensuravelmente válido.

Well, 2012 começou e me trouxe um novo ciclo, é tempo de correr, estudar, se preparar, frequentar eventos, viajar, falar inglês, palestrar e muito mais. Desejem-me muito mais que sorte, desejem- me força e principalmente coragem! Vou precisar!

PS: Momo, muito obrigada por sempre me encorajar, não é por acaso que amoxê!

 ----------------------
Aproveito p/ compartilhar esse texto bacanérrimo do Blog da Xalingo.



Ao invés de afundar-se em culpa, você deve, sem deixar de participar o possível do desenvolvimento dos pequenos, refletir sobre algun